Diga 33, uma última vez

Nunca se perguntaram porque é que os médicos pedem tantas vezes para repetir «33» durante a auscultação pulmonar? É que ao pronunciarmos trinta-e-três estamos a provocar sons vocais repercussivos que viajam por toda a árvore respiratória desde as cordas vocais (localizadas na laringe) até aos alvéolos pulmonares, passando pela traqueia  pelos brônquios, pelos bronquíolos. Quando o médicoContinue a ler “Diga 33, uma última vez”

Bacteriémia oculta

A convidada especialista desta semana respondeu a um pedido urgente. Muitos leitores deste blogue estranharam o termo bacteriémia oculta, quando escrevi que esse teria sido o diagnóstico que fizeram ao MM no Algarve. A Dra. Liliana Pinheiro que já aqui tinha referido ser «minha colega de curso, neonatologista no Hospital de Braga e uma amiga» aceitouContinue a ler “Bacteriémia oculta”

Atacar a constipação (conselhos práticos)

A maioria dos pediatras não gosta de prescrever anti-tússicos (vulgo xaropes para a tosse) em crianças e têm razões para isso. A maioria não são eficazes e alguns deles até produzem mais secreções, ‘encharcando’ a criança. Já há alguns anos que a Associação Americana de Pediatria (AAP) desaconselhou os os xaropes da farmácia em favor dosContinue a ler “Atacar a constipação (conselhos práticos)”

Qual a melhor solução para hidratação oral?

Fui falando aqui e aqui que, na criança com vómitos ou recusa alimentar, é importante assegurar que ela não desidrata. Isto significa que temos conseguir fazer entrar no organismo pelo menos tanta água quanto aquela que sai. E ela pode sair sobre a forma de vómitos, diarreia, urina, suor, vapor de água na respiração (principalmenteContinue a ler “Qual a melhor solução para hidratação oral?”

O fantasma do apêndice (II)

Depois de percebermos o que é, como evolui e como tratar uma apendicite aguda convém guardarmos na algibeira uns conselhos práticos de como lidar com a dor de barriga dos pequenos. Assim, o que devemos fazer perante uma dor abdominal? [fonte: appendicitisinchildren.net] Primeiro, contextualizar. Houve muitas lambarices no dia anterior? Vomitou? Tem febre? A subida térmicaContinue a ler “O fantasma do apêndice (II)”

O fantasma do apêndice (I)

Uma das maiores preocupações que os pais têm quando a criança tem dor de barriga é a de saber se pode ser o início de uma apendicite aguda e, consequentemente, ter de ser operada. Efectivamente a dor de barriga costuma ser o primeiro sintoma de uma apendicite aguda. Ela costuma iniciar-se à volta do umbigoContinue a ler “O fantasma do apêndice (I)”

Como dizer isto com suavidade?

O nascimento do segundo aproxima-se. Os preparativos para o parto incluem a programação da agenda de visitas: umas à maternidade, outras já em casa. Eis algumas considerações. O período neonatal compreende os primeiros 28 dias de vida do recém-nascido. É um período crítico, durante o qual o bebé está muito susceptível a infecções. Infecções essasContinue a ler “Como dizer isto com suavidade?”

On fire (II)

Convém agoras recordar as medidas gerais para combater a febre dos pequenos. Cá vão as minhas. Dar o antipirético. O paracetamol (vulgo Ben-U-Ron) pode ser dado na dose de 15 mg por kilograma (peso da criança) e repetido a cada 6 horas. Não esquecer de dividir esse valor pela diluição do xarope, que, no casoContinue a ler “On fire (II)”

On fire (I)

Muitos amigos e familiares ficam admirados quando, vendo eu ‘pontinhos brancos’ nas amígdalas do JM, ou vendo eu o tímpano ruborizado quando lhe espreito o ouvido, não medico com antibiótico e deixo o rapaz ‘abandonado à sua febre‘. Se efectivamente suspeito de que a causa da febre é vírica, não há porque prescrever antibiótico. ExistemContinue a ler “On fire (I)”

Pombinhas

E porque ouvi algumas reclamações sobre o facto de estar a dar muita primazia aos assuntos dos rapazes, este post refere-se a um problema comum nas raparigas: a coalescência dos pequenos lábios. Trata-se de uma obstrucção (quase sempre) parcial da vagina e/ou da uretra feminina por ‘fusão’ dos pequenos lábios. Esta fusão é fruste, resultadContinue a ler “Pombinhas”